09/12/2019 14:13

Comunidade Jurídico-Trabalhista realiza formatura da quarta turma do Projeto Pescar

Início da galeria de imagens.
alunos do Pescar no palco do Auditório Ruy Cirne Lima ao lado de voluntários e homenageados
Fim da galeria de imagens.
Início do corpo da notícia.

A formatura da quarta turma do Projeto Pescar na Comunidade Jurídico-Trabalhista foi realizada nessa quinta-feira (5/12), no Auditório Ruy Cirne Lima, do Foro Trabalhista de Porto Alegre. O projeto oferece formação socioprofissional gratuita a jovens em situação de vulnerabilidade social, por meio de uma parceria entre organizações públicas e privadas. O certificado de conclusão foi entregue a 15 jovens que completaram o curso de Iniciação Profissional em Serviços Administrativos. O conteúdo do curso contempla o desenvolvimento pessoal, a cidadania e conhecimentos específicos relacionados à atividade judiciária, com destaque para o uso do sistema Processo Judicial Eletrônico (PJe).

Acesse aqui o álbum de fotos da cerimônia.

Em seu pronunciamento, a presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS), desembargadora Vania Cunha Mattos, manifestou seu orgulho em ter convivido com a turma de formandos ao longo do ano. A magistrada relembrou alguns momentos em que se encontrou com a turma, como as diversas exposições culturais e artísticas promovidas pelo TRT-RS, a visita do ministro corregedor-geral da Justiça do Trabalho, Lelio Bentes Corrêa, e a viagem à Brasília para a reunião do Colégio de Presidentes e Corregedores de TRTs (Coleprecor). “Este é o grande diferencial do Pescar, que informa e forma estes jovens, habilitando-os a enfrentar os desafios do mercado de trabalho. Temos certeza que esse curso é apenas o primeiro passo para as grandes realizações que virão no futuro. Todos devem ter a oportunidade de estudar, crescer e se desenvolver dentro de padrões éticos. Não lhes falta coragem, vocês já venceram muitas barreiras”, declarou. A presidente também citou como exemplo o caso da ex-aluna da Comunidade Jurídico-Trabalhista do Projeto Pescar, Ananda Borba dos Santos, que neste ano ingressou no curso de Direito da da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

A diretora e voluntária da Fundação Projeto Pescar, Rosângela Benetti Almeida, desejou um futuro de grandes realizações aos formandos. “Nunca desistam da educação. Vocês começaram muito bem, acreditando que vocês podem. A gente se emociona a cada formatura. Boa sorte e sucesso, a Fundação espera isso de vocês, cada um no seu momento e do seu jeito”, declarou. 

A procuradora do Ministério Público do Trabalho (MPT) Marlise Souza Fontoura comentou a importância da decisão tomada pelas pessoas que representam a instituições da Comunidade-Jurídico Trabalhista em participar e investir no projeto. “Convido vocês a pensarem sobre cada decisão que tomarem em suas caminhadas. Muitas emoções virão e também muitas dificuldades, e nos momentos de dificuldade lembrem-se de hoje. Vocês já são muito vitoriosos por estarem aqui e por tudo que vivenciaram esse ano”, comentou. 

A representante do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Maria Helena Camargo Dornelles, manifestou o orgulho da entidade em participar do projeto e contribuir para a formação de jovens, o que traz benefícios para toda a sociedade. “O projeto Pescar é realmente inspirador. Fazer parte dele nos mostra que existem pessoas que podem transformar vidas e fazer desse mundo um lugar melhor. Com este projeto, contribuímos para o exercício de cidadania dos jovens, proporcionando oportunidades para que eles se desenvolvam no mundo profissional. Gostaria que vocês guardassem essa frase: o futuro é consequência do que se planta agora no presente”, afirmou. 

O tesoureiro da Caixa de Assistência dos Advogados do RS (CAA/RS), Gustavo Juchem, enalteceu a formatura dos 15 jovens como um momento de festa e celebração. “Mais do que uma prova de sucesso do projeto, é uma demonstração do quanto o entendimento e a conjugação de esforços revelam a importância e a força da união da Comunidade Jurídico-Trabalhista. Estamos muito felizes em participar desse projeto e com o retorno que ele traz, que não é financeiro, e nem é somente nosso ou de vocês, é para toda a sociedade”, refletiu. 

A diretora-geral da Escola Superior de Advocacia (ESA), Rosângela Herzer dos Santos, ressaltou que o projeto é transformador para todos os envolvidos. “Quando a gente tem essa oportunidade percebemos que são as pessoas que realmente fazem a diferença. Só podemos sentir isso quando nos damos a liberdade, a vontade, o interesse e o propósito de ouvirmos. Então nos sentimos completos e tudo fica mais fácil no nosso aprendizado”, refletiu. 

O paraninfo da turma, Álvaro Klein, presidente da Associação Gaúcha dos Advogados Trabalhistas (Agetra), parabenizou os jovens pela conclusão do curso. “Vocês chegaram até aqui ávidos por captar, aprender, transformar, criar belezas. Vieram cheios de conteúdo e experiências, com a intenção de afirmar suas posições no mundo e se inserir na posição de quem luta, para não ser apenas objeto, mas sujeito da própria história. Mantenham esse propósito e nos ajudem a melhorar o mundo da Comunidade Jurídico-Trabalhista gaúcha”, declarou. 

A voluntária homenageada, Angie Catiuscia Costa Miron, destacou a oportunidade de aprendizagem que teve ao longo do projeto. “Nós, servidores, juízes, advogados, procuradores, ficamos sentados em nossos gabinetes para realizar a justiça social, mas longe do verdadeiro contato com ela. Vocês nos fazem agentes transformadores da realidade, mas, mais do que isso, também começam a nos transformar”, afirmou. 

O educador social e coordenador do projeto, André Cintra, relembrou as diversas atividades desenvolvidas pelo grupo de jovens. “A gente só tem a agradecer a todos que contribuíram a e tudo que vocês fizeram esse ano. Eu estava pensando: por que as pessoas vêm para o Pescar? Porque elas querem fazer algo diferente, ajudar. Mas por que elas permanecem no projeto? Por causa de vocês, pela capacidade gigante que vocês têm de nos trazer o que precisamos, de nutrir nossas almas de entendimento, esperança e, principalmente, de alegria. Por isso os voluntários ficam e o Pescar se expande, por tudo o que vocês nos proporcionam”, declarou. 

Os oradores da turma foram os alunos Suelen de Oliveira e Maximino Rodrigues. “Aqui aprendemos sobre valores e sobre como iniciar no mercado de trabalho. Mas, além de tudo, aprendemos o mais importante: como trabalhar em equipe, respeitando o próximo e trazendo harmonia para o ambiente. O que plantamos durante esse ano foi algo inesquecível”, declarou Suelen. “Peço a nosso colegas que não se limitem, não se achem abaixo de ninguém. Crescemos em um mundo cheio de maldades, mas somos as pessoas que podem mudar isso. Somos agentes de transformação, e não jovens em situação de vulnerabilidade. Eles olham nossas roupas, julgam nossa cultura e até a cor da nossa pele. Nunca percam a sua essência. Sabemos de onde viemos e sabemos por que lutamos”, afirmou Maximino. 

Após as falas dos representantes da Comunidade Jurídico-Trabalhista, houve a entrega de placas em homenagem a empresas e instituições que contribuíram para inserção de jovens egressos do Pescar no mercado de trabalho. O evento foi encerrado com uma apresentação musical dos formandos e de voluntários participantes do projeto. 

A Comunidade Jurídico-Trabalhista é formada pelo TRT-RS, pelo MPT-RS, pela OAB-RS, pela CAA/RS e pela ESA, além da Fundação Projeto Pescar.

Inscrições abertas para a próxima turma

A Comunidade Jurídico Trabalhista já está com a quinta turma do Projeto Pescar em andamento na ESA, e as inscrições estão abertas para a sexta turma, que terá aulas nas dependências do Foro Trabalhista de Porto Alegre. 

As inscrições para as 15 vagas da nova turma do curso de iniciação Profissional em Serviços Administrativos devem ser feitas pelo site do projeto até o dia 8 de dezembro. Necessários documento de identidade e CPF. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 3255-2851.

Os candidatos devem ter entre 16 e 19 anos, estar cursando, no mínimo, o sétimo ano do ensino fundamental ou ter o ensino médio completo ou em andamento, e renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa. Além da formação gratuita, o curso também oferece uniforme, transporte e alimentação.

Como ajudar

Não é preciso ser um voluntário para apoiar os alunos do Pescar. Uma colaboração importante é a indicação dos alunos para processos seletivos, de modo a aumentar suas chances de entrar no mercado de trabalho. Caso saiba de alguma vaga em aberto, os currículos dos alunos disponíveis podem ser encontrados na página http://bit.ly/projetopescarrs. Também é possível entrar em contato com o educador responsável, André Cintra, pelo e-mail projetopescar@trt4.jus.br ou acessar mais informações na página da unidade para ver outras maneiras de contribuir.

Fim do corpo da notícia.
Fonte: texto de Guilherme Villa Verde e fotos de Inácio do Canto (Secom/TRT-RS)
Tags que marcam a notícia:
horizonte
Fim da listagem de tags.

Últimas Notícias

Capacete branco sob texto tambem em branco: Trabalho Seguro Crianca desenhando arcos verde e amarelos em funco cinza ao lado esquerdo do texto: Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estimulo à Aprendizagem. Texto brando sobre fundo cinza: PJe Processo Judicial Eletronico 3 arcos laranjas convergindo para ponto tambem laranja em canto inferior direito de quadrado branco, seguidos pelo texto: execucao TRABALHISTA mao branca com polegar riste sobre circulo azul ao lado esquerdo do texto: Conciliacao Trabalhista