Ir para conteúdo Ir para menu principal Ir para busca no portal
Logotipo TRT4

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região

Rio Grande do Sul

Informações ao Cidadão

Como ajuizar uma ação

A ação ou reclamação trabalhista é o meio pelo qual o cidadão pode buscar seus direitos na Justiça do Trabalho. O processo começa com a apresentação da “Petição Inicial”. Nessa peça, o autor relata os fatos pelos quais seus direitos teriam sido violados e formula seus pedidos. Para saber como tramita o processo trabalhista a partir daí, clique aqui.

Como ajuizar a ação?

ícone - como ajuizar uma ação.png A ação pode ser ajuizada pessoalmente pelo interessado (jus postulandi) ou por meio de um advogado. Apesar de ser possível o ajuizamento pelo próprio autor, recomenda-se que a pessoa sempre tenha a assistência jurídica de um advogado de sua confiança ou do sindicato da sua categoria.

A Justiça do Trabalho do Rio Grande do Sul utiliza o sistema Processo Judicial Eletrônico em todas as unidades. A ação deve ser ajuizada nesse sistema.

Qual o prazo para ajuizar uma ação?

ícone - qual o prazo para ajuizar uma ação.pngSe a relação de trabalho ainda é vigente, é possível ajuizamento de uma ação trabalhista a qualquer tempo, podendo-se sempre reclamar parcelas dos últimos 5 (cinco) anos. Se já houve rompimento do vínculo, o prazo para ajuizamento da reclamatória é de 2 (dois) anos deste rompimento, podendo-se, da mesma forma, pleitear-se verbas dos últimos 5 (cinco) anos contados da data do protocolo da reclamatória. Passado esse prazo, o direito estará prescrito, ou seja, não se poderá mais pleiteá-lo na Justiça do Trabalho.

Empregador pode ajuizar uma reclamação trabalhista?

ícone - empregador pode ajuizar uma ação trabalhista.pngSim. Normalmente, a reclamação trabalhista ajuizada pelo empregador consiste na ação de consignação em pagamento. Esta ação é proposta com intuito de desobrigar o empregador (devedor) da demora ou do não recebimento de verbas contratuais e rescisórias por parte do empregado (credor), que pode não querer ou não poder, por algum motivo, receber as verbas às quais tem direito. Outra ação cujo ajuizamento compete ao empregador é o inquérito para apuração de falta grave (IAFG), por meio da qual se busca comprovar a prática de falta grave por empregado estável, a fim de possibilitar o seu despedimento.

Ajuizamento sem advogado (Jus Postulandi)

A forma de ajuizamento da ação pelo próprio autor depende se ele possui ou não certificado digital.

Sem Certificado Digital

ícone - sem certificado digital.pngO interessado pode comparecer pessoalmente ao Foro Trabalhista ou Vara do Trabalho. A reclamação, como regra, deve ser ajuizada na cidade onde o empregado prestar serviços ao empregador. Em casos excepcionais, descritos nos § 1o e 3o do artigo 651 da CLT, a ação poderá ser ajuizada na localidade em que a empresa tenha agência ou filial, na localidade em que o empregado tenha domicílio ou no foro da celebração do contrato de trabalho. A Justiça do Trabalho possui unidades em 65 cidades gaúchas (veja aqui os endereços e telefones), cujas regiões de atuação cobrem todos os municípios do Estado. Aqui você encontra a relação de municípios com a devida indicação da Vara ou Foro responsável por sua jurisdição. O horário de atendimento é das 10h à 18h. 

Um servidor da Justiça do Trabalho prestará o atendimento necessário. Os fatos relatados pelo autor serão digitados pelo servidor no sistema de Processo Eletrônico e formarão a base para a reclamação trabalhista. O reclamante deve entregar ao servidor documentos que possam servir de prova das suas alegações. Essas informações formarão a petição inicial do processo.

Documentos necessários: documento de identificação (RG, CPF, CTPS, CNH etc) e todos os documentos que possam servir como meios de prova para a causa. Exemplos: CTPS, PIS ou NIT, contrato de trabalho escrito (se houver), comprovantes de pagamento, extrato do FGTS, laudos médicos, carta de demissão, TRCT (Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho). Se o reclamante for menor de idade, deve estar acompanhado do responsável. 

Após o ajuizamento, para receber informações sobre o andamento da ação, o autor deverá se dirigir ao Foro ou Vara em que tramita o processo ou realizar a consulta por meio do site do Tribunal, bastando digitar o número do processo (clique aqui para acessar).

Com Certificado Digital

ícone - com certificado digital.pngPara acessar o Processo Judicial Eletrônico é necessário possuir certificado digital, uma espécie de assinatura pessoal em ambientes virtuais adquirido por meio de uma autoridade certificadora (AC). A página do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) explica todas as etapas da aquisição de um Certificado Digital.

O interessado pode acessar o sistema PJe de qualquer computador, bastando configurá-lo corretamente. As orientações constam no Manual do Cidadão, disponibilizado pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho. Em caso de dúvidas, o reclamante pode contatar o Suporte do PJe da Justiça do Trabalho gaúcha, pelo telefone (51) 3255-2700.

O usuário é responsável pelo conteúdo e legibilidade dos documentos e informações inseridos no sistema PJe. Os documentos originais devem ser guardados, caso haja necessidade de sua apresentação em juízo.

Veja também: como tramita um processo.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social
Última atualização: 21/09/2017 12:48