25/11/2019 16:15

Alunas do Projeto Pescar encantam Presidentes e Ouvidores de todos os TRTs do Brasil

Início da galeria de imagens.
Fim da galeria de imagens.
Início do corpo da notícia.

Quatro alunas da Comunidade Jurídico-Trabalhista do Projeto Pescar foram a Brasília falar da importância da iniciativa para Presidentes, Ouvidores e Diretores Gerais de todos os Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) do Brasil. A iniciativa ocorreu a convite da Presidente da 4ª Região (TRT-RS), desembargadora Vania Cunha Mattos, que incluiu a manifestação das estudantes em eventos realizados no Tribunal Superior do Trabalho (TST). As meninas se apresentaram na Reunião de Diretores Gerais da Justiça do Trabalho, acompanhadas pela Bárbara Burgardt Casaletti, Diretora-Geral do TRT4, na quarta-feira (20/11) e no encontro do Colégio de Presidentes e Corregedores do Trabalho (Coleprecor) que reuniu as autoridades máximas dos Tribunais do Trabalho do Brasil na sexta-feira 22/11.

O Projeto Pescar auxilia na qualificação de jovens, criando oportunidades para que eles possam se desenvolver além das condições oferecidas pela sua realidade social imediata. As alunas Ananda Borba dos Santos, Ester Rosa Alves, Rafaela Baptista e Elisandra Weber foram escolhidas para representar as três turmas já formadas e as turmas em andamento pelo Projeto. Além de compartilhar sua experiência pessoal no Pescar, elas falaram sobre a importância do apoio do poder público à iniciativa. Da viagem, também participou o educador responsável da Comunidade Jurídico-Trabalhista, o psicólogo André Cintra. “O Tribunal se engajou no Projeto Pescar e dá cursos de formação para o mercado de trabalho. É um pequeno gesto que transforma a vida desses meninos e meninas”, declarou a presidente Vania em Brasília, diante das autoridades reunidas no TST.

Depoimentos

Ananda, integrante da 2ª turma da Comunidade Jurídico-Trabalhista e hoje aluna do curso de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (leia mais aqui), compartilhou no Coleprecor o impacto que o Pescar teve na sua vida e na de seus colegas: “O Projeto não nos dá apenas uma formação técnica. Nós aprendemos sobre Direitos Humanos, sustentabilidade, ética e a nos comportar no ambiente de trabalho. E, como não canso de repetir, ele mexe muito com a nossa autoestima. Eu, por exemplo, não tinha intenção de entrar na UFRGS, não achei que eu fosse capaz. Hoje estou lá, hoje essa é a minha realidade”, resumiu a estudante. Ester, aluna de uma das duas turmas em andamento, é outra entusiasta do Projeto: “Basicamente, é um projeto social que nos tira daquela realidade de jovens de baixa renda, sem acesso à profissionalização, e nos torna agentes de transformação. É muito importante todo o suporte que o Tribunal, os outros parceiros e os voluntários nos dão”, acrescentou em sua fala no encontro de Diretores Gerais.

Elisandra, aluna da mais recente turma formada pelo Projeto, reforçou a importância do projeto para o seu crescimento pessoal: “O Projeto Pescar significou muita coisa na minha vida. Quando eu entrei, não tinha muita expectativa, mas o projeto conseguiu fazer eu me olhar, entender que eu era forte e capaz. É uma oportunidade muito grande, que acaba mudando o jovem. É uma chance extraordinária, trabalhando coisas que muitas vezes nossa família não consegue trabalhar com a gente”, compartilhou. Rafaela, aluna da primeira turma, também acredita que a experiência foi única: “Entrei visando a me capacitar profissionalmente, mas ganhei muito mais do que isso. O Projeto me proporcionou ir ao teatro pela primeira vez na vida, andar de avião e conhecer Brasília, além de me tirar da minha bolha de conforto. Me apresentou um novo mundo”, avaliou. 

Além do TRT-RS, a Comunidade Jurídico Trabalhista é composta pelo Ministério Público do Trabalho do Rio Grande do Sul, a Seção Gaúcha da Ordem dos Advogados (OAB-RS), a Caixa de Assistência dos Advogados do Estado e a Escola Superior da Advocacia (ESA/OAB-RS), além da Fundação Projeto Pescar. Os parceiros já formaram cerca de 40 alunos e dão suporte a duas turmas, que funcionam em paralelo no TRT-RS e na ESA.

As alunas também aproveitaram a visita para conhecer algumas das importantes instituições do governo localizadas em Brasília. Além da sede do TST, elas estiveram no Congresso Nacional e no Palácio do Itamaraty (sede do Ministério das Relações Exteriores), além de conhecer a esplanada dos ministérios e visitar museus da cidade.

Fim do corpo da notícia.
Fonte: texto de Álvaro Lima (Segesp/TRT-RS) e fotos de arquivo da desembargadora Vania Mattos
Tags que marcam a notícia:
projeto pescar
Fim da listagem de tags.

Últimas Notícias

Capacete branco sob texto tambem em branco: Trabalho Seguro Crianca desenhando arcos verde e amarelos em funco cinza ao lado esquerdo do texto: Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estimulo à Aprendizagem. Texto brando sobre fundo cinza: PJe Processo Judicial Eletronico 3 arcos laranjas convergindo para ponto tambem laranja em canto inferior direito de quadrado branco, seguidos pelo texto: execucao TRABALHISTA mao branca com polegar riste sobre circulo azul ao lado esquerdo do texto: Conciliacao Trabalhista