Imagem com o número 100 junto ao símbolo do sistema PJe

24/05/2022 12:10

TRT-4 entrega absorventes arrecadados durante a “Campanha Contra a Pobreza Menstrual”

Início da galeria de imagens.
Secretária Raquel e Desembargador Rossal
Secretária Raquel e Desembargador Rossal
Tiago Mallmann, Carolina Gralha, Raquel Teixeira, Francisco Rossal, Mariana Lerina, Alessandra de Andrade e Aline de Azevedo
Tiago Mallmann, Carolina Gralha, Raquel Teixeira, Francisco Rossal, Mariana Lerina, Alessandra de Andrade e Aline de Azevedo
Reunião no Salão Nobre
Reunião no Salão Nobre
Des. Francisco Rossal
Des. Francisco Rossal
Secretária Raquel Teixeira
Secretária Raquel Teixeira
Reunião no Salão Nobre
Reunião no Salão Nobre
Reunião no Salão Nobre
Reunião no Salão Nobre
Juízas Carolina Gralha e Mariana Lerina
Juízas Carolina Gralha e Mariana Lerina
Des. Rossal e Secretária Raquel assinaram o documento que formaliza a entrega dos itens
Des. Rossal e Secretária Raquel assinaram o documento que formaliza a entrega dos itens
Des. Rossal e Secretária Raquel assinaram o documento que formaliza a entrega dos itens
Des. Rossal e Secretária Raquel assinaram o documento que formaliza a entrega dos itens
Juiz Tiago Mallmann (presidente da Amatra IV)
Juiz Tiago Mallmann (presidente da Amatra IV)
Fim da galeria de imagens.
Início do corpo da notícia.

Itens arrecadados durante a campanha
Itens arrecadados durante a campanha

O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) arrecadou 902 pacotes de absorventes durante a “Campanha Contra a Pobreza Menstrual”, realizada de 14 de março a 22 de abril. Os itens foram entregues à Secretaria da Educação do RS (Seduc), parceira da iniciativa. Os absorventes serão distribuídos entre meninas e meninos trans em situação de vulnerabilidade nas escolas, atendidos pelo programa “Livre para Aprender”, da Seduc.

O ato simbólico da entrega do material ocorreu nessa segunda-feira (23), no Salão Nobre da Presidência do TRT-4. A reunião teve a participação do presidente do Tribunal, desembargador Francisco Rossal de Araújo, e da secretária estadual de Educação, Raquel Figueiredo Alessandri Teixeira.

Conforme o presidente, a campanha é uma demonstração de empenho, mas o Tribunal ainda tem muito a auxiliar nesta área. “Acredito que podemos fazer mais ações conjuntas entre os Poderes. São políticas de Estado”, afirmou Rossal, ressaltando que o TRT-4 segue à disposição da Seduc para novas contribuições.

A secretária Raquel explicou que o programa “Livre para Aprender” abrange 53 mil alunas, de 12 a 20 anos, da rede estadual de ensino. Segundo a secretária, as estudantes faltam, em média, três dias por mês devido à falta de absorvente higiênico, o que traz uma perda de aprendizagem muito grande. “Essa disposição do TRT-4 é mais do que bem-vinda. É necessária”, disse.

A “Campanha Contra a Pobreza Menstrual” foi organizada pelo Programa Horizonte Sustentável e o Comitê de Equidade de Gênero, Raça e Diversidade do TRT-4, com a parceria do Sintrajufe/RS e da Amatra IV. Além de arrecadar os absorventes, a iniciativa também pretendeu trazer visibilidade ao tema e conscientizar a sociedade sobre o direito à dignidade menstrual.

Também participaram da reunião no Salão Nobre o juiz auxiliar da Presidência, Daniel Nonohay, as juízas Mariana Lerina (coordenadora do Comitê de Equidade) e Carolina Gralha (juíza auxiliar de Precatórios), o juiz Tiago Mallmann Sulzbach (presidente da Amatra IV), a servidora Alessandra Pereira de Andrade (diretora da Secretaria de Políticas Sociais do Sintrajufe/RS), e a chefe de gabinete da Secretaria da Educação, Aline Cardoso Mendes de Azevedo.

Saiba mais

Pobreza menstrual é considerada a falta de acesso a recursos e infraestrutura para manter uma boa higiene no período da menstruação. Ela não se limita à insuficiência econômica para a aquisição de absorventes, coletores ou calcinhas menstruais, mas também abrange a inexistência de condições básicas de higiene como saneamento e acesso à água, banheiros e sabonetes nas escolas e em casa. Além disso, a pobreza menstrual envolve a falta de conhecimento a respeito da menstruação, um acontecimento natural que ainda é considerado um tabu por grande parte da sociedade. 

O direito à higiene menstrual está relacionado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas, contemplando Saúde e Bem-Estar, bem como a Igualdade de Gênero (ODS nº 3 e 5). 

Fim do corpo da notícia.
Fonte: Gabriel Borges Fortes (Secom/TRT4)
Tags que marcam a notícia:
horizonteequidade
Fim da listagem de tags.

Últimas Notícias

Mão branca segurando três formas humanas ao lado esquerdo do texto: Trabalho Seguro Programa nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho Criança desenhando arcos verde e amarelos em fundo cinza ao lado esquerdo do texto: Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estimulo à Aprendizagem Texto branco sobre fundo cinza: PJe Processo Judicial Eletronico 3 arcos laranjas convergindo para ponto também laranja em canto inferior direito de quadrado branco, seguidos pelo texto: execução TRABALHISTA Mão branca com polegar riste sobre círculo azul ao lado esquerdo do texto: Conciliação Trabalhista