13/02/2020 12:59

TRT-RS receberá menção honrosa em premiação do CNJ por aplicativo que auxilia na seleção de processos com potencial de conciliação

Início da galeria de imagens.
Logo do prêmio "Conciliar é Legal", com a foto de um aperto de mãos abaixo
Juiz Eduardo Batista Vargas
Juiz Eduardo Batista Vargas
Juiz Jorge Alberto Araújo
Juiz Jorge Alberto Araújo
Servidores Paulo do Carmo, Luciana Passos e Felipe Levin
Servidores Paulo do Carmo, Luciana Passos e Felipe Levin
Fim da galeria de imagens.
Início do corpo da notícia.

O aplicativo I-Con, do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS), receberá menção honrosa na 10ª edição do Prêmio Conciliar é Legal, promovido pelo Conselho Nacional de Justiça. A ferramenta eletrônica investiga e relaciona processos com maior potencial de obtenção de acordos, facilitando e otimizando a elaboração das pautas de conciliação no âmbito da Justiça do Trabalho gaúcha. A presidente do TRT-RS, desembargadora Carmen Izabel Centena Gonzalez, estará presente na cerimônia de premiação da 10ª edição do Prêmio Conciliar é Legal que ocorrerá no próximo dia 18 de fevereiro, no CNJ, em Brasília.  

O I-Con foi desenvolvido entre janeiro e março de 2019, pela Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações (Setic) do TRT-RS, com a supervisão dos magistrados coordenadores do Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (Cejusc-JT) à época, juízes Eduardo Batista Vargas e Jorge Alberto Araújo.

O objetivo da iniciativa foi facilitar a triagem de processos que ofereciam mais possibilidades de conciliação, para que as pautas fossem mais produtivas e proveitosas para trabalhadores e empregadores envolvidos, sendo que o programa pesquisa os dados dos processos baseado em dois critérios distintos: o comportamento das empresas (ou seja, suas taxas de conciliação e em que fases dos processos elas mais efetivam acordos), e pela característica dos processos, definidas pelo juiz, tais como o valor da ação, o número de reclamadas envolvidas, se há ou não perícias nos processos, dentre outros parâmetros.

Segundo o juiz Eduardo, o recurso facilitou muito a pesquisa e inclusão em pauta de processos que têm chances efetivas de serem conciliados. "Foi um recurso muito importante que criamos em parceria com a Setic, e a menção honrosa no prêmio do CNJ nos deixou muito felizes", afirma.

O software foi desenvolvido pelos servidores Luciana Karst Passos, Felipe Hoppe Levin e Paulo Roberto Schmitt do Carmo, da Seção de Sistemas de Apoio à Decisão, da Setic. Segundo Paulo do Carmo, servidor chefe da Seção, todos os envolvidos no projeto ficaram muito orgulhosos pela menção honrosa obtida no prêmio do CNJ. "É um bom reconhecimento pelo nosso trabalho", disse.

Conciliar é Legal

O Prêmio Conciliar é Legal do CNJ busca identificar, premiar, disseminar e estimular a realização de ações de modernização no âmbito do Poder Judiciário que estejam contribuindo para a aproximação das partes, a efetiva pacificação e, consequentemente, o aprimoramento da Justiça.

A premiação reconhece as práticas de sucesso, estimula a criatividade e dissemina a cultura dos métodos consensuais de resolução dos conflitos.

Clique aqui para ver o quadro de vencedores da 10ª edição, relativa a 2019.

Fim do corpo da notícia.
Fonte: texto de Juliano Machado dos Santos (Secom/TRT-RS), imagens do CNJ e arquivo Secom/TRT-RS
Tags que marcam a notícia:
tecnologia
Fim da listagem de tags.

Últimas Notícias

Capacete branco sob texto tambem em branco: Trabalho Seguro Crianca desenhando arcos verde e amarelos em funco cinza ao lado esquerdo do texto: Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estimulo à Aprendizagem. Texto brando sobre fundo cinza: PJe Processo Judicial Eletronico 3 arcos laranjas convergindo para ponto tambem laranja em canto inferior direito de quadrado branco, seguidos pelo texto: execucao TRABALHISTA mao branca com polegar riste sobre circulo azul ao lado esquerdo do texto: Conciliacao Trabalhista