Ir para conteúdo Ir para menu principal Ir para busca no portal
Logotipo TRT4

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região

Rio Grande do Sul

Informações ao Cidadão
06/06/2019 18:32 compartilhe:

Advogados trabalhistas atuantes em Gravataí entregam manifesto em apoio a magistradas

Início da galeria de imagens.
Corregedor regional da Justiça do Trabalho, desembargador Marçal Henri dos Santos Figueiredo, recebe advogados.
Fim da galeria de imagens.
Início do corpo da notícia.

Um conjunto de 71 advogados ativos no Foro Trabalhista de Gravataí assinou manifesto em defesa das juízas atuantes naquele município. O documento classifica como “infundadas” acusações realizadas pela presidência da subseção Gravataí da OAB contra as magistradas, e reforça que elas “não correspondem à realidade do convívio com as referidas juízas”. Na tarde desta quinta-feira (6/6), representantes desse grupo compareceram à secretaria da Corregedoria do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS) para entregar cópia do documento e solicitar que ele seja considerado como posição majoritária daqueles que advogam regularmente na área trabalhista em Gravataí.

A manifestação de apoio cita nominalmente as juízas Candice Von Reisswitz, Márcia Carvalho Barrili, Caroline Bittencourt Colombo, Bárbara Schöfen Garcia, Patrícia Bley Heim, Rachel Albuquerque de Medeiros, Marines Denkievicz Tedesco Fraga e Cíntia Edler Bitencourt. Leia, a seguir, o conteúdo da manifestação:

“Os advogados trabalhistas que atuam na comarca de Gravataí vêm, pela presente, manifestar seu forte apoio às magistradas em face das infundadas acusações trazidas em recente abaixo-assinado organizado pela presidência da subseção Gravataí da OAB, e na nota de esclarecimento emitida pela mesma subseção em resposta à nota de desagravo da Amatra IV, na qual a entidade de classe fez a defesa das sobreditas magistradas, visto que não correspondem à realidade do convívio com as referidas juízas.

Não se nega a possibilidade de eventuais divergências de posicionamento entre advogados e juízes, algo, aliás, salutar em um estado democrático de direito, mas sempre com a devida urbanidade, inerente aos atos e solenidades do processo. Entretanto, são indevidas as generalizações e os argumentos nos quais incorrem tais documentos, os quais, diga-se, não representam a posição majoritária dos advogados que militam nesta Justiça Especializada, especialmente no Foro de Gravataí.

Portanto, o presente desagravo tem o fim precípuo de demonstrar o apreço da advocacia trabalhista de Gravataí para com a atuação das magistradas supramencionadas, renovando o apoio e o indispensável respeito dos quais são merecedoras.”

Fim do corpo da notícia.
Fonte: Álvaro Lima (Secom/TRT-RS)
Tags que marcam a notícia:
oabdesagravo
Fim da listagem de tags.

Últimas Notícias