08/05/2019 12:59

Justiça do Trabalho ajuda a expandir o Projeto Pescar no município de Feliz (RS)

Início da galeria de imagens.
Clódis Xavier, Marcelo Menna Barreto, Vania Mattos, Aline Fagundes, Maria Madalena Telesca, Marcia Fetzer, Claudio Vieira e Renato Fagundes.
Clódis Xavier, Marcelo Menna Barreto, Vania Mattos, Aline Fagundes, Maria Madalena Telesca, Marcia Fetzer, Claudio Vieira e Renato Fagundes.
Fim da galeria de imagens.
Início do corpo da notícia.

Solenidade realizada na noite dessa terça-feira (7) marcou o lançamento de um importante projeto social no município de Feliz, na região do Vale do Caí. Denominado “Futuro + Feliz”, o projeto prevê, entre outras ações, o desenvolvimento do Projeto Pescar em empresas da cidade. 

A iniciativa de expandir o Projeto Pescar no município partiu da juíza do Trabalho Aline Doral Stefani Fagundes, do Posto Avançado de São Sebastião do Caí e coordenadora do Programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC) da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 4ª Região (Amatra IV). A ideia foi amplamente aceita pela Prefeitura Municipal de Feliz e a Fundação Projeto Pescar. 

O ato de lançamento do novo projeto teve a presença da presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS), desembargadora Vania Cunha Mattos, de uma das gestoras Regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem, a desembargadora Maria Madalena Telesca, da juíza Aline e do juiz Renato Barros Fagundes, representando a Amatra IV.

O TRT-RS é parceiro do Projeto Pescar desde 2017. A instituição sedia as atividades de turmas da Comunidade Jurídico-Trabalhista, em ação conjunta com o Ministério Público do Trabalho do Rio Grande do Sul, a Seção Gaúcha da Ordem dos Advogados (OAB-RS) e a Caixa de Assistência dos Advogados do Estado. Mais de 30 alunos já foram formados nas duas primeiras turmas, em 2017 e 2018. Trata-se de um curso de Iniciação Profissional em Serviços Administrativos, no qual jovens em situação de vulnerabilidade social recebem qualificação técnica para a utilização do sistema Processo Judicial Eletrônico (PJe), usado pela Justiça do Trabalho, bem como aulas de educação emocional, comunicação, ética, cidadania, informática, assuntos ligados ao Direito e outros temas. Boa parte dos professores voluntários do curso são magistrados e servidores da Justiça do Trabalho. Neste ano, há duas turmas da Comunidade Jurídico-Trabalhista em andamento: uma no Foro Trabalhista de Porto Alegre e outra na Escola Superior da Advocacia (ESA/OAB-RS).

Na abertura do evento em Feliz, a presidente Vania manifestou a satisfação do TRT-RS em participar do Projeto Pescar. A magistrada destacou que a Comunidade Jurídico-Trabalhista tem atingido o objetivo de formar e encaminhar jovens para o mercado de trabalho, sendo que muitos dos meninos e meninas participantes já foram aproveitados em empregos formais, de carteira assinada, em escritórios de advocacia e empresas diversas. “O Tribunal tem muito orgulho dessa parceria porque é uma forma de trabalhar para o futuro. Sem educação o país não vai chegar a lugar algum”, declarou a desembargadora.

Na sequência, o prefeito de Feliz, Albano José Kunrath, ressaltou a importância da inclusão dos jovens no mercado de trabalho, gerando mais desenvolvimento e emprego. O prefeito afirmou que, com o Projeto Futuro Feliz, a expectativa é de que mais empresas da região sejam parceiras do Pescar, oferecendo oportunidade de aprendizagem aos jovens. Atualmente, apenas uma empresa da cidade, a Hidro Jet, conta com uma unidade do projeto.

Após a fala do prefeito, o Projeto Pescar foi apresentado à comunidade de Feliz, incluindo autoridades e empresários. A explanação ficou a cargo do coordenador do Projeto Pescar, Marcelo Menna Berreto, e do gerente do Instituto Gerdau e voluntário do projeto, Clódis Xavier. A atividade foi mediada pela juíza Aline Doral Stefani Fagundes, com participação do secretário de Desenvolvimento Econômico de Feliz, Claudio Rodrigo Vieira, e da secretária de Educação e Cultura do município, Marcia Maristela Fetzer. Em breve fala, a juíza Aline elogiou a receptividade e a mobilização da comunidade do Vale do Caí na causa da formação profissional e cidadã dos jovens.

Saiba mais sobre o Projeto Pescar

Com 42 anos de atuação, a Fundação Projeto Pescar trabalha para proporcionar a qualificação profissional e o desenvolvimento pessoal de jovens de 16 a 19 anos em situação de vulnerabilidade social, contribuindo para sua inclusão no mercado de trabalho.

A parceria que ele mantém com empresas e organizações já proporcionou a formação de mais de 30 mil jovens e o atendimento anual de cerca de 2 mil adolescentes em todo o Brasil. O projeto pedagógico das aulas está baseado na participação de voluntários, visando ao desenvolvimento de competências pessoais e habilidades profissionais.

Fim do corpo da notícia.
Fonte: Gabriel Borges Fortes. Fotos: Inácio do Canto (Secom/TRT4)
Tags que marcam a notícia:
pescar
Fim da listagem de tags.

Últimas Notícias

Capacete branco sob texto tambem em branco: Trabalho Seguro Crianca desenhando arcos verde e amarelos em funco cinza ao lado esquerdo do texto: Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estimulo à Aprendizagem. Texto brando sobre fundo cinza: PJe Processo Judicial Eletronico 3 arcos laranjas convergindo para ponto tambem laranja em canto inferior direito de quadrado branco, seguidos pelo texto: execucao TRABALHISTA mao branca com polegar riste sobre circulo azul ao lado esquerdo do texto: Conciliacao Trabalhista