Ir para conteúdo Ir para menu principal Ir para busca no portal
Logotipo TRT4

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região

Rio Grande do Sul

Informações ao Cidadão
22/04/2019 11:44 compartilhe:

Alysson Mascaro analisa Direito, Economia e Política em palestra na Escola Judicial

Início da galeria de imagens.
Foto do professor Alysson Mascaro falando no microfone
Foto geral da plateia na sala da Escola Judicial
Fim da galeria de imagens.
Início do corpo da notícia.

 O Direito do Trabalho, a Economia e a Política na atualidade foram os temas abordados pelo professor Alysson Leandro Mascaro, da Universidade de São Paulo (USP), na Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS). A palestra ocorreu no dia 11 de abril, no tradicional “Fim de Tarde”, evento da EJud4 destinado ao debate de temas relevantes para a Justiça do Trabalho. 

Alysson Mascaro avaliou que o mundo vive um quadro trágico, mas declarou que tem esperança na possibilidade de compreensão e transformação dessa realidade. O palestrante ressaltou que é preciso identificar as linhas de força que movem a história e encontrar a forma adequada para resistir e atuar buscando a mudança. “Só é possível agir no mundo com ciência. As pessoas estão errando não só no remédio usado para curar a doença, estão errando também no seu diagnóstico”, observou. 

 O professor abordou conceitos da psicanálise e da filosofia para refletir sobre o mundo contemporâneo. “O narcisismo e a razão cínica são os dois principais sintomas da sociedade pós-fordista”, afirmou. A razão cínica, conforme o palestrante, está relacionada a uma ordem de fala na qual não há compromisso efetivo com a realidade. Esta seria a base do discurso moralista, que leva pessoas a defenderem publicamente o contrário do que vivenciam de fato. O conceito psicanalítico de “gozo” também foi utilizado para explicar a satisfação que as pessoas sentem com esse tipo de comportamento. “É o gozo de dispor de uma certa fantasia, que aumenta a potencialidade do prazer em face do que os outros esperam. Assim, o mais imoral dos corruptos defende a moralidade”, observou. A razão cínica explicaria as argumentações contraditórias, que atacam o Direito do Trabalho defendendo que isso pode salvar os trabalhadores. O narcisismo, por sua vez, leva as pessoas a se sentirem obrigadas a transparecer felicidade e sucesso o tempo todo, sem jamais demonstrar sofrimento. “É muito vergonhoso admitir que outros ganham e eu perco. Em um mundo baseado no consumo, quem tem capital é feliz. De tal sorte que, na sociedade narcisista, a coisa mais absurda é a condição do trabalhador”, avaliou. Esse problema, segundo o palestrante, leva as pessoas a fugirem da defesa da classe trabalhadora, porque isso fere o narcisismo. 

 A partir dessas análises, Alysson Mascaro observou que não é possível buscar uma transformação da realidade por meio do discurso moralista. A única forma de se entender o mundo é pela compreensão da dinâmica do capital. Conforme o palestrante, a crise atual do capitalismo teria raízes na passagem do modelo fordista para o pós-fordista. “Esse modelo não está lastreado na produção. O capital financeiro efetivamente faz dinheiro fictício”, observou. O ataque aos direitos sociais, conforme o professor, seria uma consequência do modelo pós-fordista. Alysson Mascaro ponderou que, apesar de não representar o fim da exploração, o Direito do Trabalho estabelece um piso, um patamar mínimo de direitos para os trabalhadores. O problema, segundo o jurista, é que boa parte da população vive em condições tão precárias que não se interessa mais pela defesa desses mínimos, e acaba atraída pelo discurso de estímulo a “ser empresário de si mesmo”, que traz consigo um ataque a direitos sociais e tende a agravar a miséria. Alysson Mascaro concluiu sua palestra analisando que a solução para uma verdadeira transformação social só pode vir do próprio povo, em um processo que leve o mundo a não ser mais determinado pela exploração. “Quem sabe um dia teremos outra história, que não será de Direito, mas será de justiça”, refletiu. 

Fim do corpo da notícia.
Fonte: Guilherme Villa Verde (Secom/TRT-RS)
Tags que marcam a notícia:
escola judicial
Fim da listagem de tags.

Últimas Notícias