imagem com o número 100 junto ao símbolo do sistema PJe

10/03/2022 19:13

Presidente do TRT-4 fala sobre direitos trabalhistas das mulheres em palestra para a Câmara de Vereadores de Alegrete

Início do corpo da notícia.
palestra alegrete - dr rossal.pngA explanação do desembargador Francisco Rossal de Araújo ocorreu na noite da última quarta-feira (9/3), por videoconferência. Parte do público acompanhou o evento presencialmente. Na ocasião, o magistrado abordou os avanços legais e constitucionais relacionados às mulheres, mas também destacou as dificuldades na inserção no mercado de trabalho e as discriminações e desigualdades experimentadas por elas ainda nos dias atuais.

Segundo Rossal, persiste um grave quadro de discriminações em relação às mulheres. Como exemplo, o magistrado citou estudo da Organização Internacional do Trabalho no qual foram comprovadas diferenças de salário na ordem de 20 a 25% em relação aos homens, mesmo quando as condições de trabalho são iguais.

Outro fator de discriminação, segundo o magistrado, é a condição de maternidade ou de lactância. "Para quem só visa lucro, essas condições, em que a mulher talvez não consiga ter a mesma produtividade, levam à preconceitos", ressaltou.

Nessa perspectiva, explicou Rossal, a legislação tenta diminuir as desigualdades, seja por meio de declarações formais de igualdade, seja por leis específicas, que influenciam na igualdade material. "A igualdade material exige ações práticas e institucionalização. Além das normas, precisamos, por exemplo, da Justiça do Trabalho, da fiscalização do Trabalho e de outras instituições", afirmou.

O desembargador apresentou um panorama de normas de proteção ao trabalho da mulher, principalmente no que se refere à não-discriminação nas contratações, à proteção da maternidade e do nascituro, ao período de lactância, à disponibilidade de creches, dentre outras garantias, previstas na Constituição Federal brasileira, nas leis infra-constitucionais, como a CLT, e nas normas internacionais, como as Convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Apesar desse arcabouço jurídico, segundo o magistrado, ainda existe um longo caminho a ser percorrido. "Temos muito a andar para que essa triste realidade de discriminações seja modificada", concluiu.
Fim do corpo da notícia.
Fonte: Juliano Machado (Secom/TRT-RS)
Tags que marcam a notícia:
acontece
Fim da listagem de tags.

Últimas Notícias

Mao branca segurando tres formas humanas ao lado esquerdo do texto: Trabalho Seguro Programa nacional de Prevencao de Acidentes de Trabalho Crianca desenhando arcos verde e amarelos em funco cinza ao lado esquerdo do texto: Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estimulo à Aprendizagem. Texto brando sobre fundo cinza: PJe Processo Judicial Eletronico 3 arcos laranjas convergindo para ponto tambem laranja em canto inferior direito de quadrado branco, seguidos pelo texto: execucao TRABALHISTA mao branca com polegar riste sobre circulo azul ao lado esquerdo do texto: Conciliacao Trabalhista