Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região  Memorial da Justiça do Trabalho no Rio Grande do Sul
A+   A-  |  Home TRT |  Fale Conosco
    Imagem

    #semanamuseus2020 | Museus para a Igualdade: Diversidade e Inclusão

    Museus são templos e são agentes de mudança.

    No dia 18 de maio, desde 1977, é celebrado o Dia Internacional de Museus. Nas palavras do ICOM – International Council of Museums, seu idealizador, o objetivo da data é chamar a atenção para que “Museus são um importante meio de intercâmbio cultural, enriquecimento de culturas e de desenvolvimento de entendimento mútuo, cooperação e paz entre os povos”.

    Em 2020, a Semana Nacional de Museus acontece de 18 a 24 de maio, em meio à pandemia do coronavírus, estando em sua 18ª edição no Brasil.

    Quando proposto o tema pelo ICOM, para este ano, “Museus para a Igualdade: Diversidade e Inclusão”, não se tinha ainda notícia da pandemia.

    Desta forma, buscamos abranger no conteúdo que apresentaremos durante a Semana de Museus reflexões sobre inclusão, exclusão, igualdade, desigualdade, diversidade, isolamento, perseverança, provisoriedade, resistência e sobrevivência, presentes na sociedade contemporânea, e  a participação construtiva que os museus podem ter no tecido social.

    Frente ao Covid19, as atividades desse ano devem seguir as normas de isolamento social preventivo.

    O Memorial da Justiça do Trabalho no RS abre sua participação na 18ª edição da Semana de Museus com os vídeos “Concreto” e “Gonfle puis expire”, de Glaucis de Morais, artista e professora, que com leveza e despojamento aceitou o convite de nosso Memorial para oferecer ao público uma experiência metafórica de resistência, na qual as figuras da perseverança e do provisório reverberam significados nestes tempos de precário equilíbrio da saúde física e mental, dos relacionamentos sociais, dos valores, da economia, impactando nas relações de trabalho, no significado do trabalho.


    Como inspiração de fundo, destacamos a obra de Etienne de La Boétie (1530-1563), “Discurso da servidão voluntária”, em que afirma que é possível resistir à opressão sem recorrer à violência - a tirania se destrói sozinha quando os indivíduos se recusam a consentir com sua própria escravidão.


    Outra obra inspiradora de nossa proposta foi “O valor simbólico do trabalho e o sujeito contemporâneo”, de Alfredo Jerusalinsky, Álvaro Crespo Merlo e Ana Laura Giongo e outros, uma reflexão sobre em que tem se transformado na atualidade o trabalho que fora uma forma clássica de engate do sujeito no circuito social, seu declínio ou entrada em crise de suas formas tradicionais, transmutando o valor que seu domínio confere a cada sujeito face a sua representação social.

    Durante a Semana de Museus postaremos novos conteúdos contemplando os temas propostos.

    Fique atento! Participe! Nos diga no que os vídeos postados se relacionam com sua vida, seu trabalho, sua visão de mundo.


    Assista ao vídeo “Concreto” aqui: https://youtu.be/_whLSuNk3_M

    Assita ao vídeo “Gonfle puis expire” aqui: https://vimeo.com/96785924

     

    Imagem

    10 de Maio, Dia da Memória do Poder Judiciário

    O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou a instituição do Dia da Memória do Poder Judiciário, a ser celebrado sempre em 10 de maio. Para marcar a primeira passagem da data, o Memorial da Justiça do Trabalho no Rio Grande do Sul, por meio da integrante de sua Comissão Coordenadora, Juíza Anita Lübbe, Presidente do Fórum Nacional Permanente em Defesa da Memória da Justiça do Trabalho - MEMOJUTRA, membro do Proname e integrante da Câmara Setorial sobre Arquivos do Judiciário do CONARQ, organizou reunião deste Fórum Nacional.

    Com cerca de 50 representantes dos Memoriais dos Tribunais Regionais do Trabalho e do TST, a reunião virtual propiciou a fala dos principais atores que conduziram o processo da instituição dessa mais nova data em nossos calendários. Foram palestrantes a Desa. Tânia Reckziegel, Conselheira CNJ, Presidente da Comissão Permanente de Comunicação do Poder Judiciário, o Dr. Marcos Vinicius Jardim Rodrigues, Conselheiro CNJ, Presidente da Comissão Permanente de Gestão Documental e de Memória do Poder Judiciário, o Juiz de Direito Rodrigo Capez do TJSP, Juiz Auxiliar da Presidência do CNJ e Coordenador do Proname, Neide de Sordi, Diretora Arquivo Nacional e Presidente do CONARQ e membro do PRONAME, o Juiz de Direito Carlos Alexandre Böttcher do TJSP, membro do Proname, integrante da Câmara Setorial sobre Arquivos do Judiciário do CONARQ e a Juíza Maria Cristina Caixeta do TRT3 - MG, Presidente da Câmara Setorial sobre Arquivos do Judiciário do CONARQ, além da Juíza Anita Lübbe, Presidente do Memojutra e do Des. Cassio Colombo Filho, do TRT9 - PR, Vice-Presidente do Memojutra. Participaram da reunião ainda, os membros da Comissão Coordenadora do Memorial do TRT4, o Des. Alexandre Cruz e a Juíza Cíntia Oliveira.

    A data foi escolhida, após votação conduzida pelo Juiz Böttcher, em grupo de rede social, integrado por vários membros de memoriais de vários ramos do Judiciário, inclusive da Justiça do Trabalho, historiadores, arquivistas entre outros profissionais de áreas ligadas à preservação da Memória e apresentada pelo mesmo ao Comitê do Proname, que aprovou a ideia com objetivo de homenagear e preservar a memória institucional, o acervo documental dos tribunais e o legado das personalidades que têm marcado a história da Justiça brasileira.

    A nova data do calendário oficial da Justiça – em referência à criação da Casa da Suplicação do Brasil, por Dom João, em 1808, no que é considerado o marco inicial da organização judiciária no país – celebra o papel histórico e cultural do Judiciário brasileiro desde o Brasil Colônia.

    No longo prazo, a data deverá se constituir em mais um meio de desenvolvimento da cultura de valorização da memória e da preservação do patrimônio informacional produzido nas atividades do Poder Judiciário e acumulado em seus arquivos, museus, memoriais e bibliotecas – de documentos, publicações e objetos a registros audiovisuais, de despachos rotineiros e atos administrativos a decisões sobre a constitucionalidade de medidas de repercussão geral, de diligências nos confins do país à gestão estrutural da Justiça, de requerimentos verbais recebidos no balcão à sedimentação da cidadania como princípio democrático.

    Trata-se de momento a fomentar em toda a órbita da Justiça – destacadamente, como aqui convém, seu braço trabalhista – formas de engajamento organizado ou espontâneo sobre a importância da memória do que é, quem movimenta e como se desenvolve ao longo do tempo o fazer judicial em suas conexões com a história nacional e regional. Seja pensando a respeito, concebendo e replicando conteúdos e debates em redes e mídias sociais, seja produzindo ou acompanhando eventos, publicações e reflexões sobre o tema, celebrar a memória do Judiciário no Brasil em data que não a encerra, mas a destaca, constitui-se em meio de mobilização da comunidade judiciária em relação à preservação da história e seu papel nos grandes debates do país. Promove-se assim a oxigenação em bases diacrônicas não só do papel institucional do Judiciário, como de suas conexões com a sociedade a que serve e com a qual contribui, na resolução de conflitos, na operação do Direito e no avanço da democracia.

    Oportunamente, ao longo da semana, o Memorial da Justiça do Trabalho no Rio Grande do Sul disponibilizará trechos das palestras da reunião do dia 08 de maio de 2020 em suas redes sociais. Acompanhe em www.facebook.com/memorialtrt4

     

     

    Veja o primeiro trecho aqui: https://www.youtube.com/watch?v=hXVtBF-5vpk

                                                     
           
         

    Tabela de Temporalidade

    A Resolução Administrativa TRT4 12/2015 aprovou a Tabela de Temporalidade e Destinação de Documentos do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, a qual dispõe sobre o prazo mínimo de guarda dos documentos no âmbito da Justiça do Trabalho da 4ª Região/RS. Para acessar a tabela, clique aqui

Destaque
10 de Maio, Dia da Memória do Poder Judiciário
O CNJ aprovou a instituição do Dia da Memória do Poder Judiciário, a ser celebrado sempre em 10 de maio. Para marcar a primeira passagem da data, a Juíza Anita Lübbe, integrante da Comissão do Memorial, organizou reunião com representantes dos setores de memória de todos os regionais, integrantes do CNJ e Arquivo Nacional. O conteúdo será oportunamente disponibilizado em trechos de vídeos. Veja o primeiro trecho aqui: https://www.youtube.com/watch?v=hXVtBF-5vpk
 
Av Praia de Belas, 1432 Prédio III Porto Alegre, RS  CEP 90110-904 Fone:(51)32552683 - 32552684 e-mail: escola@trt4.jus.br